segunda-feira, 20 de abril de 2015

Ricardo Lopez - The Björk Stalker


Ricardo Lopez (14 de janeiro de 1975 - 12 de setembro de 1996), também conhecido como Björk Stalker, era um uruguaio-americano que trabalhava como oficial de controle de pragas em Hollywood. Ele ficou conhecido por sua tentativa de assassinato contra a cantora islandesa Björk em 1996. Lopez gravou em vídeo um diário de si mesmo falando sobre seus planos durante um período de oito meses, culminando com seu suicídio gravado em vídeo. Lopez enviou uma carta-bomba manipulada com ácido sulfúrico, disfarçado como um livro de uma empresa de turismo, à residência de Björk em Londres. A bomba foi interceptada pela Scotland Yard antes de ser capaz de prejudicar alguém. Na época da morte de Lopez, ele havia deixado um diário de 800 páginas, e 18 horas de filmagem de si falando para a câmera e fazendo a bomba.


Lopez nasceu no Uruguai em uma família de classe média, e mudou-se para o sudeste dos Estados Unidos quando criança. Ele tinha uma relação muito próxima com a mãe, que o havia tido com uma idade já avançada. Quando criança, corria pelas ruas da Georgia e era obrigado a ouvir de moradores locais, histórias que envolviam agressões raciais. Lopez teve amigos do sexo masculino na escola, mas não chegou a ter nenhuma namorada ou amigas. Lopez estava preocupado com a fantasia de se tornar um artista famoso e ir para a escola de arte, e chegou a abandonar a escola para alcançar seus objetivos; quando Lopez e seu irmão George mudaram-se para a Flórida no início da década de 1990, Lopez trabalhou a tempo parcial para as empresas de controle de pragas de seu irmão para se sustentar. Quando Lopez se mudou, acabou perdendo muito contato com a mãe.

Com a idade de 18 anos, Lopez tornou-se socialmente recluso e começou um diário escrito, em que descrevia suas fantasias de fama; sua baixa auto-estima e sua mania de se auto-criticar eram sentidas pelo jovem, sobretudo no que envolvia questões sexuais, bem como no que concerne a vida profissional. Para se distrair, se tornou obcecado por celebridades, e logo desenvolveu uma obsessão com a cantora islandesa Björk. Ele a via como uma "figura filha" por causa de sua "aparência e voz infantil" (apesar de a cantora ter quase 10 anos à mais). Acreditava-se que Lopez sofria de Transtorno Obsessivo Compulsivo e Transtorno de Personalidade Esquizotípica

Lopez cultivou a obsessão por Björk há quase dois anos antes de se tornar perturbado com seu relacionamento com o músico Goldie. Em seus vídeos e em seu diário escrito, Lopez identificou o relacionamento entre os músicos como seu ponto de ruptura, descrevendo Goldie com insultos raciais.


Em 14 de janeiro de 1996, no dia do seu 21º aniversário, Lopez começou a filmar seu diário em vídeo. As fitas de vídeo (em torno de 18 horas) incluem Lopez vociferando em vários estágios de nudez sobre questões filosóficas, sua construção da bomba, reclamações sobre Björk e seu relacionamento com Goldie, e Lopez mostrando seu apartamento cheio de miséria, que ele se referia como "chiqueiro". Os vídeos mostram a deterioração notável do estado mental de Lopez como a data de seu suicídio cada vez mais perto, e termina com ele raspando sua cabeça, pintando-se com tinta e graxa, e por fim, cometendo suicídio com uma arma de fogo depois que ele manda a dispositivo para casa de Björk em Londres.

A carta-bomba de Lopez estava disfarçada como um livro enviado pela gravadora de Björk, Elektra Records. O dispositivo foi concebido para pulverizar ácido sulfúrico pela abertura, matando-a ou desfigurando-a. Lopez colocara como remetente: "a pessoa que mais mudou sua vida", originalmente querendo injetar a bomba com o vírus HIV, mas abandonando os planos por inviabilidade.

Em 12 de setembro de 1996, Lopez enviou o dispositivo à residência de Björk em Londres, e filmou a entrada final em seu diário em vídeo, intitulado "Last Day - Ricardo Lopez". No vídeo, Lopez pinta a cabeça em tinta vermelha e verde e com graxa, raspa a cabeça, e se mata com uma arma em sua boca ao lado de uma placa pintada à mão onde lê-se "o melhor de mim" (presume-se que a intenção de Lopez era cobrir a placa com resquícios de seus sangue e cérebro, como resultado do tiro), enquanto a música de Björk, "I Remember You", toca ao fundo. A fita de vídeo, que ainda estava na câmara de Lopez quando a polícia descobriu o corpo, continuou a rolar enquanto Lopez tornou-se imóvel em seu apartamento.

No início, em 16 de setembro, um trabalhador da manutenção Van Buren Plaza, notando o "mau cheiro persistente" e o sangue saindo pelo teto do apartamento abaixo de Lopez, entrou em contato com o Departamento de Polícia de Hollywood. A polícia chegou, e descobriu o corpo já em decomposição de Lopez, juntamente com suas fitas de vídeo, junto com uma mensagem "As fitas 8mm são uma documentação de um crime. MATERIAL terrorista. Elas são para o FBI" escrito em tinta preta por Lopez nas paredes de seu apartamento. O Gabinete do Broward County Sheriff evacuou quase uma centena de pessoas a partir do apartamento, enquanto um esquadrão antibombas continuou a procurar mais explosivos, embora apenas um dispositivo tenha sido construído.


A polícia contactou a Scotland Yard para avisá-los do dispositivo que tinha sido entregue. A polícia Metropolitana interceptou a bomba a partir de uma estação de correios do sul de Londres e detonou sem incidentes.

Após o suicídio de Lopez, Björk falou publicamente e expressou pesar por Lopez e enviou flores e um cartão para a família do suicida. Björk também aumentou a segurança de seu filho, Sindri, que foi escoltado para a escola. Em seus poucos comentários públicos sobre este evento, Björk disse mais tarde que foi difícil emocionalmente e atrapalhou sua vida e obra, em Londres, o que explica em parte por que ela escolheu deixar as músicas fofas, e começar a escrever mais pessoalmente em seu álbum Homogenic.

Videotapes de Ricardo Lopez, incluindo seu suicídio, foram confiscados pelo FBI em sua investigação da tentativa de atentado, e liberado para jornalistas através de seu centro de mídia.

Em 2000, o cineasta dinamarquês, Sami Saif, condensou o diário em vídeo de Lopez em um documentário de 70 minutos, intitulado The Video Diary of Ricardo Lopez, lançado no final desse ano. O documentário enfoca mais Lopez como um ser humano e menos sobre a produção real da bomba, o documentário também não apresenta o suicídio. Ele está disponível na Internet há anos. A capa de vídeo mostra uma foto do anuário de Lopez.

O vídeo de Ricardo Lopez se suicidando também está disponível no Youtube. Quem quiser ver, clique AQUI mas já aviso que não dá pra ver porra nenhuma.

4 comentários: