quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Quarta do Terror - Goodnight Mommy


Ficha Técnica:
Direção: Severin Fiala, Veronika Franz
Ano: 2014
País: Áustria
Duração: 99 Minutos
Título Original: Ich Seh Ich Seh



Sinopse:
Em uma casa isolada no campo, Lukas e Elias, dois irmãos gêmeos de nove anos de idade, vivem com a mãe, que está se recuperando de um procedimento estético. Com seu rosto inchado e repleto de ataduras, a mãe exige absoluta paz e sossego para que possa se se recuperar, o que rapidamente começa a irritar os dois garotos inquietos. Ao passo que a mãe se torna mais rigorosa, os irmãos se aprofundam cada vez mais em seu mundo agressivo e anti-social, propiciando que sua raiva e desconfiança estimulem sua imaginação fértil. Até o ponto em que começam a duvidar de que a mulher com as bandagens seja de fato sua mãe.

Elenco: Os guri do Kapiroto e a mãe deles.


Crítica:
Primeiramente, agradeço à querida da Malu, leitora do Show do Medo, por ter dado a dica desse filme (Valeu Maluuu s2)

Eu não sei exatamente o que dizer sobre o filme. Não sei se eu gostei ou não, se eu entendi ou não, se é algo novo ou repetido, se é legal ou chato. E talvez eu já tenha basicamente resumido bem a crítica só nessa curta frase inicial. Goodnight Mommy é chato, porém legal, batido, com um toque muito original, maçante, porém interessante. É tudo e nada ao mesmo tempo. "Porra Metzger, vai começar a filosofar nessa porra agora?" Só posso dizer que para entender o que quero dizer, é preciso assistir Goodnight Mommy, e tentar por si mesmo formular uma crítica consistente sobre o mesmo.


O filme exibe as informações de maneira lenta demais. É torturante assistir os quase 100 minutos de Goodnight Mommy, sobretudo pra mim quem tem pouca paciência e não gosta de filmes arrastados. Aliás,  levei o dia todo para assisti-lo, porque fiquei pausando o filme pra fazer outras coisas (limpei cozinha, embrulhei presentes e fiz 3 tortas de ganache com mousse de limão pra amanhã). No entanto, se você pensr bem, se Goodnight Mommy fosse um filme mais acelerado, talvez não tivesse ficado tão bom quanto ficou o resultado final.

Outro ponto que merece atenção aqui é o fato de que Goodnight Mommy tem um enredo que já vimos em muitos filmes de suspense (vocês vão entender o que eu quero dizer no final), porém, apresentado de maneira nova, o que prova que há sim, jeito de se renovar até o enredo mais exaustivamente usado. É claro que o espectador mais atento irá conseguir prever o final, no entanto, o filme é tão brilhantemente dirigido que você será levado a questionar se realmente se trata daquilo ou de outra coisa. Inclusive, mesmo depois do final de Goodnight Mommy, você ficará se perguntando "afinal, o que a foda aconteceu?"


Achei muito interessante a premissa de Goodnight Mommy, onde duas crianças começam a se questionar se a mulher com a cara enfaixada é sua mãe de verdade da dupla ou uma impostora. Essa proposição é alimentada por pequenos detalhes no cenário, como a falta de fotos da mulher antes da plástica, ou pelos grandes retratos da mãe, totalmente embaçados, vistos em segundo plano nas cenas. No entanto, acredito que da mesma forma que isso ajudou, também atrapalhou, sobretudo no momento em que as crianças retiram uma foto de duas mulheres parecidas de dentro do album, e você só percebe que uma das mulheres é a mãe deles quase no fim do filme.

Os tons pálidos da produção e a falta de trilha sonora ajudam na criação da atmosfera, que é ao mesmo tempo clara e escura, silenciosa e barulhenta, de uma maneira subjetiva. Goodnight Mommy praticamente obriga o espectador a questionar tudo e coloca-o em uma posição de muitas dúvidas sobre os personagens, sobre o enredo e até mesmo sobre o desfecho final.


O terceiro ato, um pouco antes da conclusão, é uma incógnita pra mim. É como se tivessem colocado parte de outro filme, mais sangrento, violento e brutal bem no final do longa. A impressão que tive foi que os roteiristas (o roteiro foi escrito pelos próprios diretores) quiseram dar uma solução rápida à trama, mas tudo acabou ficando previsível e forçado demais. Uma pena. realmente.

Enfim, como dito acima, Goodnight Mommy é um longa difícil de qualificar. É evidente que o suspense psicológico envolto na trama é muito bem construído, enlouquecendo o espectador pela sua complexidade, mas este novo gênero de filmes de suspense, esse estilo mais "pensante", que ainda engatinha no mercado cinematográfico, é muito diferente do que estamos acostumados a ver, sobretudo para quem não está preparado para essa montanha-russa de sentimentos. Goodnight Mommy é um daqueles filmes que você ama ou odeia, sem abrir espaço para meios-termos.

Nota:

Assista:
Para assistir ao filme, clique AQUI.

Bom filme!

10 comentários:

  1. Louco pra ver esse filme! E com todos que falei sobre o mesmo, disseram inatamente o mesmo que você, querida...

    P.S : FELIZ NATAL!!!! QUE A FUNDAÇÃO TE RECRUTE PARA SER UM CLASSE D(ESCARTÁVEL) \O/ ^3^ KKKKK

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Reinolds, feliz natal pra vc tbm <3
      P.S.: Aqui é O5 kiridinho HAHA!!

      Excluir
    2. Bicha, a senhora é destruidora mesmo, viu viada... KKKKKK

      Excluir
    3. http://dwigif.com/view/w7odJb6

      Excluir
  2. metz, sua linda, obrigada!
    feliz natal <3<3<3

    ResponderExcluir
  3. De boa se não fosse um fdp ter comparado esse filme a outro e eu não ter deduzido o final em base no outro filme, esse teria sido o melhor filme de 2015 pra mim. Tia Metz faz a resenha de Green Inferno !!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahh eu resolvi não ficar comparando pra não dar spoiler HHAHA!

      Farei sim!!

      Excluir