quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Quarta do Terror - Do Outro Lado da Porta


Ficha Técnica:
Direção: Johannes Roberts
Ano: 2016
País: EUA, India
Duração: 97 Mnutos
Título Original: The Other Side of the Door



Sinopse:
Em luto pela perda de seu filho, uma mãe é coagida a participar de um ritual que lhe dará a oportunidade de conversar uma última vez com seu falecido primogênito. O rito, porém, abre um portal de comunicação com o mundo dos mortos. Uma força oculta começa a lutar para se empoderar da alma da outra filha da mulher - algo que ela não será capaz de permitir com tanta facilidade.

Crítica:
Eu resolvi procurar por filmes de terror/suspense lançados em 2016 e me deparei com Do Outro Lado da Porta. A sinopse chamou minha atenção, já que não me lembro de ouvir falar em um filme de terror que se passa na índia. Esperava que fosse algo original, um filme novo, diferente, não mais do mesmo. Infelizmente, minhas expectativas foram por água abaixo.


Embora a idéia principal seja interessante, os roteiristas não souberam aproveitá-lo, transformando Do Outro Lado da Porta, num compilado de cenas manjadas que já foram insistentemente exploradas em centenas de filmes do gênero. A trama não prende o expectador, e eu nem lembro quantas vezes eu pausei o vídeo por qualquer mínima desculpa que eu imaginasse, porque não aguentava mais o draminha chulé do filme.

Outro ponto muito negativo diz respeito à evidente pressa em começar logo o suspense. Embora eu goste de filmes que vão "direto ao ponto", o suspense de Do Outro Lado da Porta envolve o drama de uma mulher que perdeu o filho em um acidente de carro horrível, e portanto, nossa afeição pelos personagens é um fator importante para o longa. Infelizmente, este não nos deu tempo suficiente para nos apegarmos aos personagens, e quando algo ruim acontece, você simplesmente dá de ombros e pensa: "foda-se..". Você simplesmente não consegue se afeiçoar, não dá tempo. Meu, eu não tava aguentando nem o choro do cachorro, pra ser bem sincera.

Do Outro Lado da Porta não deixa o espectador com medo, mas sim com  raiva. O excesso de jumpscares furrecos, as cenas manjadas, os buracos no enredo e as decisões estúpidas da personagem principal, unidos à uma dublagem bem da ruim me deixaram com vontade de enfiar a cabeça no cu de um camelo. Sarah Wayne Callies, que interpreta o papel de Lori Maria é, pra variar, melodramática à ponto de você querer entrar no filme e dar uns tapas na cara dela.


O final é surpreendentemente ruim, e parece abrir margem para uma sequência que Deus não permita.

As vezes, a impressão que eu tenho é que alguns filmes são feitos simplesmente para existir. Pra fazer volume, sabe? Pelo menos uma vez por ano tem que ter um filminho bosta, e a bola murcha da vez foi Do Outro Lado da Porta.

Mas como eu tento enxergar um lado positivo em tudo, um dos poucos pontos interessantes do filme é a construção do cenário, sobretudo da casa, onde grande parte da """"ação"""' acontece. As filmagens também foram feitas de modo agradável, não tão escuro, porém sombrio o bastante.

A menção honrosa de maior testa do mundo fica para a atriz mirim Sofia Rosinsky, que até que não estragou tanto o filme. Deixo também a menção honrosa do marido mais bunda mole para o Jeremy Sisto, o cara que acha tudo bem a mulher que tentou se matar passar uma noite fora de casa.


Se eu fosse resumir Do Outro Lado da Porta em uma única palavra seria meuquefilmeruim.

Nota:

Assista:
Clique AQUI, abaixe a página e depois clique em Assistir por Moonwalk HD.

Bom filme!

4 comentários:

  1. Adoro assistir os filmes que tu dá nota baixa :v. Ótimos para me fazer dormir, continue trazendo mais filmes trash

    ResponderExcluir
  2. Tenho uma dica! Assista Session 9. Ótimo filme, bem produzido, trilha sonora maravilhosa e estória muito bem amarrada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou procurar esse filme Reinolds, valeu!!

      Excluir